Ordem da Visitação de Santa Maria

Adorar a Deus em espírito e verdade

Como havia muitas ordens de clausura, São Francisco de Sales e Santa Joana de Chantal pensaram em fundar uma congregação para “sair à rua”, para visitar e cuidar dos mais carenciados, tratar doentes e outras obras de caridade. Mas a imposição da autoridade eclesiástica viria a remeter ao claustro as Irmãs da Visitação de Santa Maria. E assim nascia mais uma ordem contemplativa.

Fiz o que não queria”, diria o fundador da congregação nascida em 1610, em Annecy (França). Referia-se à “sugestão” do arcebispo de Lion, cidade onde surgia seis anos depois o segundo convento, de a converter em ordem de clausura papal, por lhe parecer estranho ver as irmãs a andarem em público. Mas, vinda de quem vinha, aceitou a imposição como sendo a vontade de Deus. A cofundadora completaria: “Deus deu às nossas Irmãs um espírito de inteira submissão à sua Divina Vontade; da sua bondade recebemos grande disposição e atrativo para viver em clausura, com inteira consolação para as nossas almas”.

(Esta é apenas uma parte do artigo; o conteúdo integral está acessível a subscritores)

Acesso reservado a subscritores

O conteúdo integral deste artigo é apenas acessível a subscritores.

Se já subscreveu o PRESENTE DIGITAL, deve iniciar sessão (fazer “login”):
Se não é subscritor, pode sê-lo carregando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *