Haja pastores e guias na fé

Atualmente, os padres aparecem com muita frequência nos meios de comunicação social. Nem sempre por bons motivos. Os erros e crimes de alguns são denunciados na praça pública, com grande escândalo, e as dificuldades com o seu serviço religioso passam de boca em boca. A dedicação e virtude da maioria é ignorada ou esquecida.
Os padres foram despojados do prestígio popular de que gozavam. Tornaram-se incompreendidos na singularidade do compromisso no celibato e do estilo de vida fora do comum. Levam uma vida paradoxal: iguais a todos, mas diferentes; inteiramente doados aos outros, mas também carentes de afeto e companhia; homens escolhidos e entregues a Deus, sentem a sua ausência e precisam de procurar a sua proximidade; pastores e mestres da comunidade cristã, são muitas vezes procurados sobretudo como funcionários de serviços religiosos; guias espirituais, experimentam também a dúvida, a solidão, a incerteza daqueles que acompanham.
As críticas hão de ser recebidas como fatores de correção, golpes que contribuem para o esculpir a obra de arte, cortes que contribuem para a lapidação do diamante. Poderão ajudar os padres a corresponderem melhor à sua vocação e missão. O Concílio Vaticano II refere que eles são destacados “dentro do povo de Deus não para serem separados dele ou de qualquer homem, mas para se consagrarem totalmente à obra para que Deus os chama”. Depois diz que “não poderiam ser ministros de Cristo se não fossem testemunhas e dispensadores duma vida diferente da terrena, e nem poderiam servir os homens se permanecessem alheios à sua vida e às suas situações”. Por fim, que vivam entre os homens, cultivando as virtudes que se apreciam no convívio humano e sendo “bons pastores” que conhecem e ajudam os seus semelhantes a escutarem a voz de Cristo e a segui-lo (cf PO, 3).
Só teremos novas vocações sacerdotais se o povo de Deus as desejar e pedir ao Céu e se os padres souberem viver com fé viva, amor incondicional, entusiasmo, criatividade e dedicação a sua entrega a Cristo, sendo pastores e guiais espirituais competentes.

14 Novembro, 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *