A Vinha de Deus

No passado domingo, a palavra de Deus proclamada nas celebrações da missa falava do povo de Deus como a Sua vinha. Vinha que Ele ama, protege, cuida e da qual espera frutos. Confia-a ao trabalho de agricultores, mas estes recusam entregar-lhe a parte dos frutos que Lhe cabia. Ele não desiste e entregou-a a outros que lhe sejam fiéis. Esta palavra vem muito a propósito no dia anual dedicado à Diocese, a porção do povo de Deus implantado nesta região de Leiria-Fátima. Todos os batizados constituem este povo, amado e cuidado por Deus com muita paciência e esperança, diretamente e através de mensageiros e servidores. Neste povo, todos devem dar frutos e cuidar da vinha, sem dela se apropriarem. Que frutos? Fé, esperança, amor, justiça, verdade, fraternidade… Primeira condição para dar bons e copiosos frutos é manter a ligação e a consciência de pertença a Deus. Sem esta relação vital não se podem produzir os frutos próprios do reino de Deus. Depois, há que cuidar das relações fraternas entre os membros deste povo, segundo o mandamento dado por Jesus: “por isto conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros como Eu vos amei”. Terceira condição: sair em missão. “Somos chamados a sair da vinha para nos pormos ao serviço dos irmãos que não estão connosco, para nos sacudirmos e encorajarmos reciprocamente, para nos recordarmos que devemos ser vinha do Senhor em cada ambiente, mesmo nos mais afastados e incómodos”, diz o Papa Francisco. Ao longo deste ano pastoral somos convidados pelo bispo diocesano a viver “a alegria de ser Igreja em missão”. Esta vinha de Deus está no mundo para lhe oferecer dons de Deus. Os muros que lhe dão segurança não são físicos, mas espirituais: a consciência firme da sua identidade e missão e sobretudo a garantia da presença e ajuda do Senhor Jesus e a assistência e inspiração do Espírito Santo. Esta vinha é sinal e instrumento de Deus no mundo, para que os homens para que O conheçam e vivam a relação e comunhão com Ele, como fonte de vida, esperança e fraternidade.

10 Outubro, 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *