“Onde moras?”. Disse-lhes Jesus: “Vinde ver».”

02º Domingo do Tempo Comum – Ano B

Deus é Palavra que comunica vida e chama a participar na sua missão. Ele peregrina pelos caminhos da nossa busca de sentido, mas a sua morada é segui-Lo, permanecer com Ele, escutar a sua Voz, partir em missão para falar desta morada divina no meio de nós. Grandioso mistério este de o nosso corpo, limitado e impulsivo, ser templo do Espírito Santo, fraternidade do Altíssimo, sacramento de eternidade, terra fecundada pela semente da salvação. Quem procura encontra, guiado pela mão de pessoas que já fizeram a experiência, como Eli, João Batista, André…
A pastoral vocacional e a evangelização devem ser animadas por pessoas evangelizadas que apontam e conduzem a Cristo, porque já sabem onde mora, já fizeram a experiência do encontro, e ficaram apaixonados por esta surpresa misteriosa e salvífica que nos habita e salva! São pessoas que nos ensinam a responder a esta voz desconhecida: “Fala, Senhor; o teu servo escuta!” (1 Sam 3,9) e a aprofundar o chamamento, questionando-nos: “o que procuras? (Jo 1,38. Tudo deve conduzir ao “Vinde ver”, convite de Alguém que nos espera, mística do encontro, pedagogia do acolhimento, purificação da imoralidade, alegria de seguimento, “corpo para o Senhor” (1 Cor 6,13), caminho para me deixar transformar em “membro de Cristo” (1 Cor 6,15).
Os pais mandam os filhos à catequese, mas antes e durante deveriam já lhes ter falado da alegria da fé, rezado com eles a vida, participado habitualmente da Eucaristia dominical, respondendo às questões e crises da vida com os valores evangélicos. É assim que se tornam pedagogos da verdade e condutores dos filhos para Cristo; sem isso, o envio dos filhos à catequese sabe a escola de religião, que a tradição manda nestas idades! A mensagem que passam é o de um frete que é preciso fazer para conseguir a autorização da festa da Primeira Comunhão e do Crisma.
A Pastoral Vocacional que se limite a apresentar a teologia da vocação, a falar do que é um sacerdote, um consagrado ou um leigo, mas não é uma pedagogia para “conhecer a Palavra do Senhor” e “ver onde mora Jesus, como vive, o que ensina, o que nos pede”, alimenta sonhos, mas não educa para o discipulado, feliz por ser morada e mensageiro de Cristo. Tem que se criar condições e ensinar a fazer discernimento para saber distinguir “vocação” de “realização pessoal”, “desejo de protagonismo”, “medo do mundo”.
Senhor, eis-nos aqui, lutando entre a nossa vontade e a tua vontade, os nossos projetos e o teu projeto de missão. Envia-nos o teu Espírito e purifica as nossas motivações. Ensina-nos a deixar-nos ajudar pelos bons companheiros que apontam para o Salvador e chamam para morar com Jesus. Dá-nos sede da tua Palavra e vontade firme de Te seguir, apesar das noites das nossas buscas e dificuldades em reconhecer a tua Voz. P

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *