Despojai-vos!

Domingo de Ramos da Paixão do Senhor – Ano A

Aquele dia em que Jesus Cristo, entrou em Jerusalém era, certamente, um dia em que uma grande multidão impaciente enchia a cidade. Uma doce impaciência porque cada um, cada família, se preparava para celebrar a Páscoa, o memorial da poderosa e benevolente acção de Deus, para com o seu povo: a libertação do Egipto. Jesus Cristo entrou em Jerusalém, anunciando a sua chegada: “Eis o teu Rei, que vem ao teu encontro…” (Mat 21,5). Jesus, é aclamado e reconhecido como o Messias, por aquela multidão que pouco tempo depois apelaria à sua crucifixão. “Hossana ao Filho de David! Bendito o que vem em Nome do Senhor! Hossana nas alturas!” (Mat 21, 9). Pouco sabemos daquela multidão que rodeava Jesus na sua entrada em Jerusalém e muito pouco sobre aquela que assistirá à sua Paixão. Mas das multidões conhecemos todos a sua fácil manipulação, os seus voláteis entusiasmos. No entanto, sabemos também que, de entre aquela gente, um anónimo se deixou despojar do jumentinho, porque o Senhor necessitava dele (Mat 21,3).

(Esta é apenas uma parte do artigo; o conteúdo integral está acessível a subscritores)

Acesso reservado a subscritores

O conteúdo integral deste artigo é apenas acessível a subscritores.

Se já subscreveu o PRESENTE DIGITAL, deve iniciar sessão (fazer “login”):
Se não é subscritor, pode sê-lo carregando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *