A alegria de perdoar e de se sentir perdoado

07º Domingo do Tempo Comum – Ano A

O Evangelho de hoje direciona o nosso olhar e o nosso coração para o Pai celeste, permanentemente magnânimo, ousado e criativo, quando se relaciona com cada filho. Vivemos diariamente do celeiro da sua ternura e da sua misericórdia. O perdão do pecado serve de pretexto para Ele inventar ousadas declarações de amor. Deus toca-nos nas feridas, para que nos fixemos no seu rosto do médico e prestemos atenção à receita que nos avia. Tem  mãos e habilidade de fada e de enfermeira: nunca nos pega pela parte dorida, mas sempre pela sã, e prefere desperdiçar azeite a aplicar vinagre.

(Esta é apenas uma parte do artigo; o conteúdo integral está acessível a subscritores)

Acesso reservado a subscritores

O conteúdo integral deste artigo é apenas acessível a subscritores.

Se já subscreveu o PRESENTE DIGITAL, deve iniciar sessão (fazer “login”):
Se não é subscritor, pode sê-lo carregando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *